Um voo turbulento com pouso seguro - Nação Alviverde - Site Oficial

Publicidade

Um voo turbulento com pouso seguro


O retorno após um mês de interrupção devido a disputa da Copa América provocou uma forte reação negativa ao Palmeiras. Dono de uma campanha impecável no Campeonato Brasileiro, líder geral na Libertadores e figurar entre os oito melhores da Copa do Brasil foram méritos do primeiro semestre, apagados com as más atuações na segunda metade do ano. Sem Copa do Brasil, adversários chegando no Brasileiro e sustos no voo. O clima para a Libertadores seguia baixa. 

Com tantas adversidades internas e externas, o time entrou em campo contra o Godoy Cruz (ARG) pela ida das oitavas de final da Libertadores. A chegada ao país vizinho já predizia maus ares. Um voo que arremeteu duas vezes antes de pousar, prejudicando o psicológico e a preparação, parecia influenciar no desempenho do time. Mostrando as mesmas falhas vistas nos jogos passados, mesmo com mudanças, o time seguia espaçado, desorganizado e sem ímpeto. Somados a esses fatores, erros defensivos culminaram com o surpreendente placar de 2x0 contra.

Weverton, mostrando segurança e competência, agarrou o pênalti e deu tranquilidade ao time (Foto: Andres Larrovere/AFP)
Linha defensiva completamente exposta e partida irreconhecível dos laterias e do Gustavo Gómez fizeram com o que já foi a fortaleza do time ser desmoronada: A defesa passou a sofrer gols com frequência. Só não levou mais porque Weverton, único com nível acima da média, defendeu um pênalti cometido infantilmente por Gómez, completando sua infeliz partida. No lance anterior, Felipe Melo havia diminuído o placar, ao marcar de cabeça após bola cruzada na área do adversário. 

Felipão, observando a bagunça tática que viveu seu time nos 45 minutos inicias, cobrou energicamente uma mudança de postura, que foi seguida a risca para o segundo tempo. Lembrando os bons tempo do Palmeiras do primeiro semestre, a equipe trouxe alta intensidade, toques curtos e posse de bola efetiva. Borja, que recebeu uma última oportunidade, aproveitou a chance. Como um meia de aguçada visão, deixou grande bola para Willian, que acabou desperdiçando. Como exímio atacante, recebeu bola do Luan, girou no zagueiro e complementou com classe para o gol. O empate do Palmeiras; a redenção do colombiano.  

Após longo período fora, Borja voltou e marcou seu décimo gol em Libertadores pelo palmeiras; o terceiro maior artilheiro (Foto: Andres Larrovere/AFP)
Com o empate em 2x2 obtido na Argentina, o Palmeiras transformou um ambiente tenebroso e sem perspectivas que se encontrava na partida, para se revirar e buscar, com uma estrutura sólida, a desvantagem que tinha. Essa reação foi essencial, levando em consideração que gol fora de casa é um critério de eliminação, dando ao luxo de o time empatar em 1x1, que segue na competição. O final de jogo deixa uma interrogação nos torcedores: Qual Palmeiras veremos em campo? O burocrático do primeiro tempo, ou o intenso do segundo? Que o voo alcance os ares. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.